Minha história

 

Tudo começa com a própria psicologia e o quanto sou apaixonada pela minha profissão desde que entrei na faculdade. O meu encanto pela mente, pelos sentimentos, pela curiosidade em saber por que somos assim, porque fazemos as coisas, enfim sempre quis desvendar o ser humano.

Meu pai sempre dizia para as pessoas que eu era curiosa, eu queria ver, queria saber.

E a única certeza que você sai da faculdade é que não existe uma resposta pronta, que cada um tem a resposta dentro de si, mas precisa olhar para dentro para descobri-la.

Como todo mundo que entra na faculdade de psicologia dizendo que quer ajudar pessoas, descobre que no fundo foi lá para descobrir a si mesmo.

Enfim, fiz minha faculdade, me encantei com o trabalho com famílias, adentrei o mundo das crianças, dos adolescentes e me vi muito envolvida a tudo o que dizia respeito a maternidade, educação de filhos e orientação à famílias.

Sempre em busca de respostas, estudando e tentado trazer as soluções para quem necessitasse. Fui me envolvendo muito mais com o mundo racional, com respostas, com soluções, cursos e especializações.

Num dia de vivência na minha especialização em Arteterapia, a professora estava fazendo uma visualização criativa e eu visualizei meu pai e ele me entregava uma caixa que tinha uma chave dentro. Meu pai sempre foi uma figura muito importante para mim e sempre foi um pai muito rígido. Ele tinha a doçura de uma flor, mas não deixava isso de fácil acesso para nós. Na época desse dia meu pai já havia falecido há dois anos e aquilo não saiu da minha mente. Era um recado e o que dizia aquele recado?

Três meses depois meu marido é transferido da empresa que trabalhava para os EUA. E aí a vida muda, seu olhar muda. E eu estava sozinha com minha família, num lugar desconhecido, sem meus amigos, familiares, me sentindo sozinha e meu diploma não valia de nada.

Os meses foram passando e eu me via fazendo tudo aquilo que dizia para os meus clientes e para os pais que orientava, não fazerem. Estava irritada, estressada, brigando e gritando com meus filhos, perdida e buscando o meu chão. Até então minha vida seguia o curso que eu queria, meus diplomas e minha teoria me sustentava, mas agora tudo isso não valia de mais nada.

Aos poucos percebi que precisava olhar para o que estava acontecendo dentro de mim, precisava acolher e ver como tudo aquilo não estava sendo absorvido. Voltei a fazer terapia e um belo dia aquela imagem do meu pai me dando uma chave, voltou e aí em entendi o que ela queria dizer. O grande tesouro estava em abrir, pegar a chave e abrir o mundo interno. Ali tudo fez sentido!!

Eu precisava além da teoria, dar chance para ela fazer sentido para mim. Eu precisava da prática, precisava sentir, precisava me CONECTAR COMIGO MESMA e tudo ia fluir.

Hoje todo o meu trabalho está fundamentado nesse propósito, de não somente colocar a teoria ao favor das pessoas, mas fazê-los se conectar com si mesmo, especialmente as mulheres.

Hoje continuo trabalho com o universo feminino, especialmente com mulheres, mães e expatriadas que estão perdidas dentro desse mundo interno, que querem melhorar a sua relação com seus filhos, mas que acima de tudo querem se reconectar consigo mesma.

E porque especialmente mulheres?

Porque elas são as que mais abrem mão de sua identidade em prol dos seus filhos, do marido, do tralho e da sua família. Mulheres são educadas para servir, nutrir e cuidar do outro e se deixarem de lado.

Esse caminho é um pouquinho da minha trajetória e quero muito ajudar outras mulheres a sentirem esse prazer que sinto hoje depois que comecei a minha busca interna e voltei a me conectar comigo novamente.

Hoje atendo online mulheres e expatriadas que querem ir em busca desse autoconhecimento, usando a psicologia e Arteterapia como recursos desse trabalho. 

E la se vão 20 anos de atendimento no consultório e nas diversas instituições que passei.

Atualmente tenho trabalhado no mundo virtual, já que esse tem sido a nova forma de se conectar e que faz mais sentido para mim.

Quem quiser acompanhar mais, tenho o Instagram, o facebook e o youtube

Sou formada em psicologia há 20 anos, em Arteterapia há 3 anos, sou mulher e estou na arte da vida há 43 anos. Na maternidade há 12 anos do Pedro e há 7 da Liz.

Amo aprender, estar com pessoas, refletir, caminhar, estar na natureza e exercer a minha profissão.

Com carinho

Deborah